Título para que? Sou eu...

Sou eu, exposto aqui.

Um bom tanto de mim quer explodir. Ao invés de permitir o desperdício dos meus espasmos de criação inútil, prefiro deixá-los por aqui, para quem quiser me conhecer. Também é uma forma excelente de tentar organizar um pouco meus pensamentos, tão confusos.

Será melhor ainda se vocês puderem me criticar, e muito: pois só assim cresço.

Conto, então, com a ajuda de todos.

Minha foto
Nome:
Local: Porto Alegre, RS, Brazil

sexta-feira, julho 23, 2004

Do mestre Heráclito

    Não, não fou falar aqui da idéia do 'tudo flui'. Isso é tão simples, tão singelo, e concordo tanto com isso que geraria um texto muito grande, o qual deixo para outra hora.
   
    Por enquanto, me basta deixar retida seguinte idéia: em memória, há verdadeira unidade ou podemos considerar os fragmentos de cada trecho como cindido dos outros? Sim, porque, em verdade, nem sempre há uma 'linha' de tempo.
 
    Quem se acha, hoje, a mesma pessoa que um dia foi, atire a primeira pedra. Aliás, nem atire: porque os medíocres estão aí para isso.
 
    Enquanto não vou a fundo nessa idéia - coisa que farei, se a preguiça ou a desorganização novamente não me baterem - deixo outra idéia do mestre, uma daquelas verdades claras que mencionei, mas tão profundas quanto uma vida:
 
    "The one who has no hope will not find what is unhoped for, for it lies beyond any quest and any reach"
 
    Tradução minha, não me responsabilizo: "Aquele que não tem esperança não encontrará o que não é esperado, posto que isto está além de toda a busca, de todo o alcance."
 
    Não sei se eu deveria dizer: "boa busca" ou "tenham esperança". Digo apenas: "busquem"!