Título para que? Sou eu...

Sou eu, exposto aqui.

Um bom tanto de mim quer explodir. Ao invés de permitir o desperdício dos meus espasmos de criação inútil, prefiro deixá-los por aqui, para quem quiser me conhecer. Também é uma forma excelente de tentar organizar um pouco meus pensamentos, tão confusos.

Será melhor ainda se vocês puderem me criticar, e muito: pois só assim cresço.

Conto, então, com a ajuda de todos.

Minha foto
Nome:
Local: Porto Alegre, RS, Brazil

sábado, julho 24, 2004

Os comentários anteriores foram apagados!

    Eu estava imaginando o porquê das pessoas não postarem comentários aqui na página...

    Primeiro, imaginei que ninguém fosse ler o que eu escrevo. Errei, pois mais de 60 pessoas já acessaram este site. E o número só aumenta.

    Depois, imaginei que fosse porque não queriam comentar um texto específico, e passei um puta trabalho pra colocar aquela barrinha de comentários livres ali do lado - ninguém usou.

    Me disseram que as pessoas poderiam ter medo de que pensassem ser besteira o que escrevem. Bom, fosse por isso eu não escreveria também, porque acho 99% dos meus textos uma bobagem - e esse 1% nem está aqui no site. E também não pode ser isso, porque duvido que tanta gente tenha receio de deixar uma opinião ou um alô, já que somente 3 pessoas escreveram algum comentário aqui.

    Já estava imaginando que meus textos são, sim, uma bobagem e que sequer merecem comentários... quando resolvi entrar na página em que vocês escreveriam e achei ela horrível, com pedido de logon e tudo, completamente fora do contexto.

    ENTÂO, depois de apanhar mais um pouco para esse tal de html, agora há uma NOVA forma de postar aqui, muito mais 'user friendly'. Por favor, usem ela e façam meu esforço valer a pena. E não quero saber de desculpas.

    O único down side disso é que todos (todos os 4) comentários antigos foram apagados. Bom, como disse uma amiga minha hoje: "nem tudo é perfeito". Deveras.

    Como tudo nessa vida, o sistema de comentários ainda não está do jeito que eu quero. Ainda, porque sigo 'na luta'.