Título para que? Sou eu...

Sou eu, exposto aqui.

Um bom tanto de mim quer explodir. Ao invés de permitir o desperdício dos meus espasmos de criação inútil, prefiro deixá-los por aqui, para quem quiser me conhecer. Também é uma forma excelente de tentar organizar um pouco meus pensamentos, tão confusos.

Será melhor ainda se vocês puderem me criticar, e muito: pois só assim cresço.

Conto, então, com a ajuda de todos.

Minha foto
Nome:
Local: Porto Alegre, RS, Brazil

domingo, agosto 01, 2004

A dor da frieza

    E quando as duas pessoas são más?

    Por certo, há uma 'queda de braços' - quem for menos mau, chora. E, então, chora muito.

    E parece que esse é o futuro da humanidade: não sentir mais, não se abrir mais, não ser mais vulnerável. Se houver fraqueza, que esteja muito bem escondida! Sai daqui bondade, pois doçura é só magoa.

    Sim, esses somos nós, amanhã: incapazes de sentir por medo do sentimento dos outros. Só me pergunto se não teremos, cada um de nós, uma boa dose de razão nisso.

    "But I don't wanna be the one to cry" (Sometimes Love Just Ain't Enough - Don Henley)

    Mas é uma idiotice, porque muitos não percebem que os relacionamentos humanos, sejam quais forem, não são um jogo; e seguem, no fundo, usando um coração de pedra contra outros dos mais belos cristais (os quais, depois de quebrados, jamais serão os mesmos).